Campeão invicto: Corinthians na Libertadores 2012

Campeão invicto: confira a campanha do Corinthians na Libertadores 2012
 4 de Julho de 2012  
Primeira fase

15 de fevereiro de 2012 – Pueblo Nuevo, em San Cristóbal, Venezuela

Deportivo Táchira 1 x 1 Corinthians

O Corinthians não teve boa atuação em sua estreia na fase de grupos da Copa Libertadores, mas saiu de campo comemorando. Um gol de cabeça marcado por Ralf aos 48 minutos do segundo tempo garantiu aos brasileiros um saboroso empate por 1 a 1 com o venezuelano Deportivo Táchira. A vitória do time que abriu o placar com o artilheiro Herrera em trapalhada de Chicão e Julio César parecia consumada até que Fábio Santos foi derrubado por Chacón à esquerda da grande área. Na cobrança, Alex colocou a bola na cabeça de Ralf, que testou firme, balançou as redes e garantiu o empate.

7 de março de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 2 x 0 Nacional

Não foi do modo como o torcedor alvinegro se habituou. Foi sem o sofrimento da estreia, quando arrancou empate do Deportivo Táchira no minuto final, que o Corinthians derrotou o Nacional, do Paraguai, em duelo da segunda rodada da Copa Libertadores e que marcou a estreia da equipe no Pacaembu. O placar também não foi o de costume nos últimos tempos: em vez da diferença mínima, um 2 a 0, com gols de Danilo e Jorge Henrique. Resultado que nem traduziu fielmente o poderio corintiano diante do fraco oponente do Paraguai.

14 de março de 2012 – Estádio Azul, na Cidade do México

Cruz Azul 0 x 0 Corinthians

O Corinthians até criou oportunidades para vencer, mas ficou no 0 a 0 com o Cruz Azul, na Cidade do México. O jogo, disputado a 2.400 metros do nível do mar, marcou o início da disputa direta pela liderança do Grupo 6 da Copa Libertadores. Os 2.400 metros de altitude da Cidade do México proporcionaram altos e baixos do Corinthians durante o primeiro tempo. Os dez minutos iniciais e finais foram dominados pelo time brasileiro, que criou suas melhores chances justamente nos momentos em que usou o fôlego para pressionar a saída de bola adversária.

21 de março de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 1 x 0 Cruz Azul

O Corinthians passou o jogo todo praticamente sem dar chances ao Cruz Azul, mas o sofrimento que a Fiel tanto exalta não poderia ficar ausente. Embora tenha sido amplamente superior e terminado a partida com um homem a mais, o Alvinegro bateu os mexicanos pelo placar mínimo, 1 a 0, graças a mais um gol decisivo de Danilo no Pacaembu e com direito a uma bola na trave de Julio Cesar aos 43 do segundo tempo. O resultado colocava os brasileiros na liderança do Grupo 6 da Copa Libertadores.

11 de abril de 2012 – estádio Nicolaz Leoz, em Ciudad del Este, Paraguai

Nacional 1 x 3 Corinthians

Com maioria da torcida a favor e gols de Jorge Henrique, Emerson e Elton, o Corinthians bateu o fraco Nacional por 3 a 1, e confirmou classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores. A uma rodada do fim da fase de grupos, o resultado em Ciudad del Este também eliminou os paraguaios e classificou o mexicano Cruz Azul. Esse foi o primeiro triunfo dos comandados de Tite fora de casa nesta edição do torneio. Nem tão fora de casa, já que o jogo, vendido pelo mandante a uma empresa, foi transferido para a fronteira com o Brasil. Os corintianos então foram em peso ao Estádio 3 de Febrero ver o time chegar a 11 pontos e reassumir a liderança do grupo.

18 de abril de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 6 x 0 Deportivo Táchira

A primeira posição do Grupo 6 da Copa Libertadores era finalmente do Corinthians. Com sobras, a equipe venceu o lanterna Deportivo Táchira-VEN por 6 a 0, no Pacaembu, e terminou a primeira fase na liderança, à frente do Cruz Azul-MEX, que simultaneamente também bateu o Nacional-PAR. Dois gols, anotados por Danilo e Paulinho, saíram no primeiro tempo. Na etapa final, com um jogador a mais, Jorge Henrique, Emerson, Liedson e Douglas balançaram a rede e fecharam a conta.

Oitavas de final

2 de maio de 2012- estádio George Capwell, em Guaiquil, Equador

Emelec 0 x 0 Corinthians

O Corinthians jogou com um homem a menos desde os sete minutos do segundo tempo, quando Jorge Henrique foi expulso, mas conseguiu segurar um empate por 0 a 0 com o Emelec, no Estádio George Capwell, em Guaiaquil, no jogo de ida pelas oitavas de final da Libertadores. O primeiro tempo foi morno como o Corinthians gostaria que fosse, mas o jogo esquentou depois do intervalo, especificamente após a expulsão do atacante. A equipe de Tite teve momentos de instabilidade, acumulou cartões amarelos (seis no total) e até sofreu com as insistentes bolas alçadas do oponente, mas a segurança do grandalhão Cássio ajudou a evitar uma grande pressão.

9 de maio de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 3 x 0 Emelec

Qualquer apreensão do torcedor corintiano quanto ao placar do jogo desta quarta-feira contra o Emelec se desfez sete minutos após a bola rolar no Pacaembu, quando o lateral esquerdo Fábio Santos abriu a vitória por 3 a 0. O empate com gols era favorável ao rival, contudo a equipe em momento algum viu a vaga nas quartas de final da Copa Libertadores ser ameaçada de fato e até ampliou na etapa final, com Paulinho e Alex. O resultado derruba tabu de 12 anos, pois desde 2000 o Corinthians não avançava em mata-mata no torneio sul-americano – depois de eliminar o Atlético-MG nas quartas de final daquela edição e cair em seguida para o Palmeiras, saiu três vezes nas oitavas (duas para o River Plate, em 2003 e 2006, e uma para o Flamengo, em 2010) e uma na repescagem (para o Tolima, em 2011).

Quartas de final

16 de maio de 2012 – São Januário, no Rio de Janeiro, Brasil

Vasco 0 x 0 Corinthians

O primeiro confronto entre Vasco e Corinthians, pelas quartas de final da Copa Libertadores, foi duro e não saiu do zero. As duas equipes travaram uma chuvosa batalha, em São Januário. O primeiro tempo foi marcado pela marcação forte das duas equipes e poucas chances de gol. Com isso, o confronto foi para o intervalo com o empate. Na etapa final, o Vasco teve as melhores chances e um gol anulado de Alecsandro, que aproveitou cruzamento de Thiago Feltri. No restante, os dois times ficaram mais focados na parte defensiva.

23 de maio de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 1 x 0 Vasco

Doze anos depois, mais de 35 mil pagantes viram no Pacaembu o Corinthians voltar a uma semifinal de Copa Libertadores – a até então única classificação para essa fase havia sido em 2000, ao eliminar o Atlético-MG e cair para o Palmeiras na sequência. Após 0 a 0 no jogo de ida, em São Januário, a equipe paulista derrotou o Vasco por 1 a 0, com gol de cabeça do volante Paulinho aos 42 minutos da etapa final. O treinador corintiano se irritou, reclamou acintosamente com o árbitro e foi expulso ainda aos dez minutos do segundo tempo. Quando ele já se encontrava na numerada, o Vasco desperdiçou clara oportunidade de marcar aos 17 minutos. Último homem da defesa, Alessandro pegou sobra de falta e tentou levantar a bola novamente para a área, mas acertou em Diego Souza. Em poucos segundos, o vascaíno disparou do meio-campo até a área, sem nenhuma marcação à sua frente, e chutou no canto esquerdo baixo de Cássio, que esticou o braço e colocou a bola pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Nilton cabeceou e carimbou o travessão.

Semifinais

13 de junho de 2012 – Vila Belmiro, em Santos, Brasil

Santos 0 x 1 Corinthians

O Corinthians saiu na frente do Santos na briga por uma vaga na grande final da Copa Libertadores, conseguindo dominar o Peixe no primeiro tempo e sabendo administrar a vantagem com um jogador a menos no segundo para sair da Vila Belmiro com uma vitória por 1 a 0 na bagagem. O gol que definiu o placar da partida foi marcado pelo corintiano Emerson, aos 27 minutos do primeiro tempo. O atacante recebeu passe pela esquerda após boa jogada individual de Paulinho e colocou a bola no ângulo do goleiro Rafael, sem qualquer chance de defesa para o camisa 01 do Peixe . A partida ainda seria marcada por alguns incidentes entre torcedores e policiais e pela expulsão de Emerson durante a etapa complementar. Uma queda de energia na Vila Belmiro ainda atrasaria o jogo em 17 minutos, mas não atrapalharia o rendimento do Corinthians nos instantes finais.

20 de junho de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 1 x1 Santos

Criticado após o primeiro jogo, Neymar respondeu e fez o Corinthians ser vazado pela primeira vez no Pacaembu nesta edição da Copa Libertadores. Mas não foi suficiente: com gol de Danilo na etapa final, o time da casa empatou por 1 a 1 e se valeu da vantagem obtida com o 1 a 0 no jogo de ida para eliminar o Santos e obter classificação inédita à final da Copa Libertadores. O último obstáculo do Corinthians na tentativa de conseguir seu primeiro título sul-americano será o vencedor do duelo entre Universidad de Chile e Boca Juniors-ARG, a ser definido nesta quinta-feira – o time argentino é favorito por ter vencido o primeiro jogo por 2 a 0, em casa. Mesmo sem ainda nem conhecer o oponente da decisão, cujo primeiro confronto será na quarta-feira que vem, o clube do Parque São Jorge já atinge sua melhor campanha em dez participações na história da Libertadores. O máximo que havia alcançado era a semifinal, em 2000, ano em que o time alvinegro foi eliminado pelo Palmeiras, nos pênaltis.

Final

27 de junho de 2012 – La Bombonera, em Buenos Aires, Argentina

Boca Juniors 1 x 1 Corinthians

A estrela de Romarinho brilhou novamente. Decisivo no clássico contra o Palmeiras, no último fim de semana, o atacante voltou a salvar o Corinthians nesta quarta-feira e marcou o gol que sacramentou o suado empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, em La Bombonera, no primeiro jogo da final da Copa Libertadores. O placar foi inaugurado aos 27 minutos do segundo tempo, após escanteio cobrado por Riquelme. Santiago Silva cabeceou em cima de Chicão e Roncaglia aproveitou a sobra para balançar as redes. Sofrido do jeito que o torcedor corintiano gosta, Romarinho recebeu grande passe de Emerson e tocou por cima de Orión para empatar o duelo aos 40 minutos. Com o resultado obtido em Buenos Aires, o Corinthians leva para São Paulo a chance de decidir o título com uma vitória simples. Como os gols marcados fora de casa não contam vantagem na final do torneio, qualquer empate levará a partida para a prorrogação e, posteriormente, pênaltis. O duelo que definirá o título será disputado na próxima quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Pacaembu.

4 de julho de 2012 – Pacaembu, em São Paulo, Brasil

Corinthians 2 x 0 Boca Juniors

O conquistador da América em 2012 tem um nome: Emerson Sheik. O atacante brilhou na noite desta histórica quarta-feira e marcou os dois gols que culminaram na festa corintiana no Pacaembu. O primeiro deles saiu depois de uma falta cobrada por Alex, aos oito minutos do segundo tempo. Jorge Henrique cabeceou para o centro da área e Danilo tocou de calcanhar para o atleta. Livre de marcação, Emerson fuzilou o goleiro Sosa e abriu o marcador. Já aos 27 da etapa complementar, o centroavante mostrou oportunismo ao roubar a bola mal passada pelo zagueiro Schiavi e ganhar de Caruzzo na corrida para tocar na saída de Sosa e sacramentar o inédito título continental do Timão.



Comentários